Archive for the 'Realidade surreal' Category

26
Jan
11

O Telefone

Toca o telefone. Atendo. Tua voz do outro lado me diz que estás no lugar errado, que eu estou no lugar errado.

Me descobres nua, mesmo à distância. Eu o adivinho duro, mesmo sem tocá-lo.

E na tua voz excitada, vou caminhando para o nosso prazer. Apalpando-me, como se fossem tuas as mãos. Convidando-o a me descobrir. Enquanto sussurro de mim, eu suspiro a saudade que sinto do toque que já tive.

(e ainda quero)

Suspiro de novo.

Sorriu? Até posso ouví-lo.

Vou guiando teus passos, na minha boca vai crescendo a tua nostalgia, nas minhas falas vais enlouquecendo em demasia, na respiração – em que ofego – percebo que ofegas também.

Até quanta distância crescerá o nosso desejo?
Eu me masturbo arqueada na cama quase em desespero.
E ouço o teu arquejar nas ondas do telefone.

Fala para mim aquelas sensações, fala o que queres de mim quando estivermos juntos, lembra tudo que fizemos, as nossas escapadas. Desde quando cativado pelo meu ombro nu, até o meu sofá na nossa madrugada.

Fala.
E me deixa sentir tua voz, como se fosse a tua boca.
Permita-me desejar-te, quase que como louca.

E junto comigo… se perde de si na minha perdição.

Shakti

04
Jan
11

Sentidos

Sua mão

PASSEANDO

No meu corpo

 

Sua boca

DEGUSTANDO

Minha pele

 

Sua língua

SENTINDO

Meu gosto

Seus olhos

me

DEVORANDO

 

Seu [meu] suor

IMPREGNADO

em nós

.

 

 

19
Oct
10

A verdade oculta

Te beijo em outras bocas

Te  tenho em outros corpos

Te toco em outras mãos

Te abraço em outros braços

Te vejo em outros olhos

Te sinto em outros toques


Me entrego aos olhos de quem não me vê
Me entrego às vontades que não são minhas
Me entrego às mãos que não sinto
Me entrego aos olhares que não vejo

A verdade é que…

—> Me entrego, para não me entregar. <—

19
Sep
10

Blackout

Beijos……… apagados,
Marcas esquecidas.

Cheiros desconhecidos,
Mãos e pés ……..cor…..ta…..dos,
bocas manchadas…

……………Olhares ………………………perdidos,
Suspiros
………………………sumidos.

O ponteiro rodou depressa demais…
Ele me acompanhou?! Eu o acompanhei?! Quem rodou atrás de quem?
Os ponteiros voaram, e nós?! Demos razantes?
As horas se perderam em mim, e eu fiquei….

……………………………………………………confusa,
……………………………………tonta.

Levantei, meio que sem saber, e me deitei novamente, ainda entorpecida.
Olhei pra cima, e vi o chão, em cima de minha cabeça.. Parecia que cairia a qualquer momento..
Eu estava errada, o teto estava sob meus pés, e eu não conseguia caminhar…

Estava tudo escuro…

As luzes continuam apagadas..

Foi Blackout,

Não encontro o interruptor.

01
Jul
10

Presente para olhos curiosos

Em dias comuns, qualquer coisa que dilate as pupilas e dispare o
coração, já faz aparecer um painel luminoso com letras grandes e
vermelhas, dizendo: “Valeu a pena”

.

Fim de tarde…
……………………………Corpos frios
Arrepios quentes
……………………………Gemidos.

Dedos,
…………………..Cabelos,
Enterrando,
……………………Puxando…

Numa dança sexy e envolvente.

Degustando,
……………….Explorando,
Famintos.

Meus olhos nem piscavam, se deliciavam…

Pernas entrelaçadas,
……………………………………Mãos ao redor,
A coxa nua.
……………………………………Carne viva,
No necrotério, frio.

…………………………………………………………………….Movimento de lá,
Paralisia de cá,
Estava atônia, observando,
…………………………………………………………………..Ouvindo,

Gemidos, sussurros.

Respiração ofegante
Não conseguia parar
………………………………………………….De olhar…

…….Fui embora
Mas a vontade ficou…

Um arrepio atrevido insistia em me percorrer.
Meu sorriso de canto denunciava minha vontade…
Meu desejo.

.

By Nanda Gregório & Ju Sandres

29
Jun
10

em suas mãos

Ata-me
braços como prisão

.

Venda-me
sentidos expostos

.

Usa-me
sem restrições

.

Desdobra-me
por dentro

.

Penetra-me
com força

.

Rapte-me
para o seu prazer

.

Rouba-me
de mim

.

Prenda-me em ti!

15
Jun
10

O Bar (conto 2/4)

Viro mais uma tequila, ahh… é claro que eu estou a fim*. Fixo os olhos no olhar faminto e o induzo a vir até a mim, encorajo-o com um meio sorriso. Não sou atirada, meu jogo é outro. Permito a aproximação, deixo que ele me seduza.

Vai chegando, conversa, e meus olhos dançam pelo corpo que distraidamente ele encosta no meu. Ergo uma das pernas e exibo a pele nua mal coberta pela saia curta. Sua mão toca meu ombro, a derme molhada, ele me beija. Língua na minha eu canso dos jogos, colo meu corpo ao dele e o ambiente cheio e escuro favorece que as mãos possam passear sem tantos expectadores. A respiração acelera, meu corpo responde ao membro que pulsa e responde ao mim.

Eu o quero, não estou disposta a esperar. Afasto-o fazendo um sinal para me seguir: nada de apartamento, é no banheiro misto que eu quero encontrá-lo.

*citação livre da música “Por que a gente é assim?”, de Cazuza, Frejat e Ezequiel Neves.




Agenda maltrapilha

November 2017
M T W T F S S
« Feb    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

“Falando absurdos, Virando a noite, Perdendo o senso, Derretendo satélites. Falando tudo, Voando a noite, Ouvindo estrelas…”

Clique para assinar este blog maltrapilho e receber novas maledicências por email

Join 5 other followers